Archive for the ‘Patologias Pilates’ Category

Pilates contribui para o tratamento do AVC

Pilates contribui para o tratamento do AVC

O AVC (Acidente Vascular Cerebral), conhecido popularmente como “derrame” acontece quando há um entupimento ou rompimento dos vasos que enviam sangue ao cérebro provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea correta.

Pode ser dois tipos:

- Acidente Vascular Hemorrágico: Ocorre um sangramento cerebral ocasionado pelo rompimento de uma artéria ou vaso sanguíneo, em consequência de hipertensão arterial, traumatismos ou problemas na coagulação sanguínea. Seu avanço é mais grave e pode ocorrer em pessoas mais jovens.

- Acidente Vascular Isquêmico: Ocorre pela ausência de circulação numa região do cérebro provocada pela obstrução de uma ou mais artérias por embolia, ateromas ou trombose. Tem maior incidência, no geral em pessoas mais velhas e fumantes que apresentam: colesterol alto, hipertensão, problemas vasculares e diabetes.

Muitas pessoas que tiveram o AVC encontram no Método Pilates, um importante complemento para o tratamento após a incidência do AVC, diante do controle e fortalecimento muscular que a prática proporciona.

Através dos exercícios o equilíbrio é refeito e permite que as conexões responsáveis pela sensação de segurança sejam estabelecidas e a realização das atividades cotidianas seja novamente restabelecida.

A prática do Pilates trabalha o corpo aliado à respiração, e prioriza os limites de cada indivíduo, levando em consideração o ritmo e o que já pode ter ocorrido com os músculos do praticante.

O Pilates contribui para a recuperação dos movimentos, melhora a respiração, postura e coordenação motora, não consiste em apenas em exercícios de alongamento e leves, refere-se a uma atividade física e mental.

O tratamento da asma e o Pilates

O tratamento da asma e o Pilates

A asma é o estreitamento dos pequenos canais de ar dos pulmões que impossibilitam a passagem do ar provocando broncoespasmos, tornado a respiração difícil.

Não há idade para se apresentar asma, na maioria dos casos os sintomas são sinalizados na infância.

Os sintomas apresentados são: tosse seca, chiado e opressão no peito acompanhados de falta de ar.

Resfriados, gripes, práticas de exercícios que exigem vigor e o estresse emocional podem intensificar os sintomas.

A asma é uma doença que não tem cura, mas com o tratamento adequado pode ser devidamente controlada, permitindo ao paciente levar uma vida normal adotando a prática de exercícios físicos.

Sobre a prática de exercícios vamos abordar sobre o Pilates de que forma ele pode vir a favorecer na vida da pessoa que tem asma.

O pilates foi desenvolvido em 1920 por Joseph Pilates  uma técnica conhecida como prevenção e tratamento na coluna vertebral, agrega as teorias de controle motor e técnicas de teoria de conscientização corporal.

A prática favorece o fortalecimento e alongamento dos músculos aumentando a mobilidade das articulações, os movimentos são realizados sem pressa e com controle.

Em cada exercício é necessário o alinhamento na postura favorecendo a melhora da postura integral do indivíduo.

No indivíduo que apresenta asma o pilates colabora com o fortalecimento da musculatura corporal, isso deixa o músculo relaxado promovendo uma reeducação funcional e na postura.

As aulas de Pilates apresentam: poucas repetições de movimento, exercícios eficazes e suaves não apresentando desgaste físico.

Os benefícios para quem apresenta asma e adota o pilates como atividades físicas são refletidas: no fortalecimento dos órgãos internos, melhoram na respiração, correção e alinhamento da postura, aumento da resistência física e mental e aumento da concentração e relaxamento.

A prática de atividade física favorece a qualidade de vida e proporciona bem estar, sendo um importante aliado para o equilíbrio entre corpo e mente.

Cuidado com seu ombro durante as aulas de Pilates

Cuidado com seu ombro durante as aulas de Pilates

Por Professora Ft. Msd. Milena Dutra

O ombro é uma articulação bastante complexa e a mais móvel de todo o corpo humano, entretanto, é considerada pouco estável por sua anatomia articular, especialmente na articulação glenoumeral. Esta grande mobilidade e menor instabilidade podem ser atribuídas à frouxidão capsular associada à forma arredondada e grande da cabeça umeral e rasa superfície da fossa glenoide, sendo necessário harmonia sincrônica e constante entre todas as estruturas estáticas e dinâmicas que mantêm sua biomecânica normal (METZKER, 2010). Read the rest of this entry »

Pilates em caso de Hérnia de Disco

Pilates em caso de Hérnia de Disco

Por Professora Ft. Msd. Milena Dutra

 

A hérnia discal é a herniação do núcleo pulposo através do anel fibroso, constituindo-se como uma das principais causas de dor lombar.

Isto não quer dizer que hérnia só aconteça na lombar, não !!! Você pode ter uma hérnia em qualquer região da sua coluna. Mas a maior incidência desta lesão são nas duas principais curvas lordóticas cervical e lombar. Cervical por apresentar grande mobilidade e lombar por suportar grande sobrecarga.

Quando há uma herniação ocorre uma compressão na medula espinhal diretamente, podendo gerar pouca, nenhuma dor, ou muita dor na distribuição radicular bilateral. Este ultimo quadro acontece quando há o esmagamento da raiz nerosa proximalmente ao canal medular, dor radicular é o sintoma clássico:

- irradiação para perna se a hérnia for  na lombar, ou para o braço se esta for na cervical

- formigamento

- parestesia ( diminuição de sensibilidade)

- perda de força muscular, parecendo que a perna ou o braço esteja ´´bambo´´ sem força ou firmeza.

Sendo que, em muitas vezes, as dores são sentidas em local distantes da herniação do disco. Queridos, quanto pior for estes sintomas maior é a gravidade do problema.

 

A hérnia de disco surge como resultado de diversos pequenos traumas na coluna que vão, com o passar do tempo, lesando as estruturas do disco intervertebral. Estes traumas podem ter origem de:

 

- microlesões por desgastes fisiológicos decorrentes do envelhecimento

 

- atrito articular por esportes, modalidades e atividades repetitivas, principalmente em flexão e rotação de tronco

 

- alterações posturais significantes etc… Read the rest of this entry »

Você tem Condromalácea e quer fazer Pilates?

Você tem Condromalácea e quer fazer Pilates? Tome cuidado com algumas posições.

Por Milena Dutra

O joelho é a maior articulação do corpo e se constitui de um “órgão” frequente de lesões, fato esse justificado por sua complexa anatomia e vulnerabilidade, diferente por exemplo, da articulação do quadril que é protegida por grandes músculos com potente estabilidade pelo contorno ósseo e ligamentar (figura 1)

A articulação do joelho é uma caixinha de surpresas, apesar de apresentar uma boa congruência óssea dado pelo contato entre os côndilos femorais e o platô tibial, sua segunda articulação denominada femoro-patelar, muitas vezes não se apresenta em perfeita congruência em posicionamento patelar com o sulco intercondilar. Este desequilíbrio da patela na tróclea do fêmur implica em uma lateralização da mesma, com suceptibilidade de subluxações deste segmento. Este fato em conjunto com outras alterações desencadeia a famosa síndrome da dor femoro-patelar ou também conhecida  condromalácea. Read the rest of this entry »

February 2018
M T W T F S S
« Mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728